terça-feira, 23 de abril de 2013

O Lado Bom da Vida


Título: O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Nota: 9,5

Pat People acaba de sair de uma instituição psiquiatra onde ele passou anos, mas, para ele, foram apenas meses. Ele não se lembra bem do tempo em que passou lá, nem do motivo pelo qual foi pra lá. Tudo que ele se lembra é que a esposa pediu um tempo separados, e por isso não a vê faz tempo.

Ao se mudar para a casa dos pais seu objetivo é fazer o possível para acabar com o Tempo separados, ele tenta fazer tudo que acha que a esposa gostara, lê livros dos quais ela sempre falou, faz exercícios, pois ele tinha engordado muito e tenta ser bondoso.

Ele passa mais de 10 horas por dia se exercitando, e, uma vez por semana, precisa se consultar com um psiquiatra, que não é pessimista como o que tinha na clinica, mas sim um homem baixinho que torce pro mesmo time que ele e age como um amigo.

Muitas pessoas voltam a fazer parte de sua vida, incluindo seu melhor amigo de infâcia que lhe apresenta a cunhada, Tifany, uma mulher que perdeu o marido e o emprego recentemente, e age de forma bem estranha.

Ao tentar reconstruir sua vida, Pat precisa enfrentar muitos obstáculos, especialmente aqueles criados por ele mesmo, mas ele não esta sozinho nesse momento, sua familia e amigos estão com ele, não importa o que aconteça.

Quando comecei a ler O lado bom da vida eu esperava algo um pouco diferente, pelo que eu tinha ouvido falar de quem viu o filme e tal, mas, como sempre, o filme é baseado no livro, e não uma copia fiel. Não assisti ao filme, mas ele é uma comédia, já o livro esta mais para um drama, tem sim várias partes engraçadas, mas não a ponto de ser uma comédia.

A história é contada pelo Pat, e podemos perceber o quão mal ele esta. Ele passou por um trauma muito grande, que só vamos descobrir no final do livro, afinal, nem ele mesmo se lembra. Somos envolvidos em sua rotina diária e torcemos o tempo todo por ele, sofrendo a cada momento que ele sofre. Seu objetivo é reatar seu casamento, e em nenhum momento eu torci por isso, eu queria ele feliz e bem, e sabia que para isso ele precisaria superar a esposa, é visivel, desde o começo, que algo relacionado a isso aconteceu para que ele fosse internado.

Tifany é uma personagem peculiar, ela aparece e nada fala na maior parte do tempo, quando ela finalmente fala são coisas que eu queria muito dizer. Agora alguns pode considerar o que vou falar como spoiler, mas é dito na sinopse do filme, então se achar que é spoiler pule, mas falarei do que mais gostei no livro rs

Quando Tifany propõe servir de elo para Pat e sua esposa e, em troca, ele tera que dançar com ela em um concurso, o livro muda um pouco, fica muito mais divertido. A descrição do treinamento deles é perfeita,  Pat começa dizendo para imaginarmos a musica tema dos filmes do Rocky, e enquanto eu lia o resto, sem que percebesse, estava ouvindo a tal música na minha cabeça, cabia perfeitamente, foi o máximo, ri muito nessa parte.

O lado bom da vida é uma história diferente das que costumo ler, e muito muito boa. Super bem escrita, do tipo que você fica pensando nela o dia todo, e, mesmo depois que você termina o livro, continua pensando. É uma história que poderia acontecer com muita gente, e por isso é tão boa. E a forma com que ele tenta ver as coisas, sempre procurando ver o lado bom de tudo, é contagiante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário